sábado, 17 de outubro de 2009

Daí me deparo com isso...

Mais de um milhão de pessoas vão às ruas em Madri contra o aborto. Projeto prevê liberdade para abortar em prazo de 14 semanas de gravidez. Estupro, má-formação ou perigo para a saúde da mãe já são previstos. Leia na íntegra no site: http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/0,,MUL1345038-5602,00-MAIS+DE+UM+MILHAO+DE+PESSOAS+VAO+AS+RUAS+EM+MADRI+CONTRA+O+ABORTO.html

Impressionante o comentário de uma autoridade, justamente de uma mulher! Eis o trecho da matéria: “A ministra socialista da Igualdade, Bibiana Aido, uma das incentivadores do polêmio projeto de lei, exprimiu "respeito total" à passeata, afirmando, no entanto, que "ninguém tem o monopólio da moral". "Nenhuma mulher pode ser penalizada por tomar uma decisão tão difícil como é a de fazer um aborto", declarou”.

Dou ênfase a: “ninguém tem o monopólio da moral”... Pergunto: E se trata somente de moral? Se trata, antes de vidas! Pessoas que não tem capacidade de se defender, cuja vida está nas mãos daquela que deveria protegê-la, incondicionalmente (mãe)!
Muito chocante o ponto de vista dela!
Mas ela fique sabendo, existe sim, um código que não pode ser violado. O monopólio existe, e está na consciência de cada um, que se diz: humano.
Havia também um cartaz onde estava escrito: “Cada vida conta”
Leia a matéria.

Nenhum comentário: